29 de julho de 2010

IELTS e TCFQ II

Em continuação ao post anterior, só que desta vez informando ao invés de questionar. Risos...

Custos dos exames:
TCFQ: R$ 365,00
IELTS: R$ 415,00

São obrigatórios ao processo? Não.
Qual a utilidade deles ao processo? Para quem aplica pelo processo de Québec, o TCFQ pode isentar a entrevista pessoalmente feita nos escritórios de imigração, sendo possível a realização de entrevista por telefone e até mesmo a aprovação automática e obtenção de CSQ pelos Correios. O IELTS é útil para comprovar os conhecimentos no inglês e ganhar mais pontos na imigração, mas não tem tanta importância quanto o TCFQ.
É necessário ser fluente para realizar estes exames? Não. Há relatos de pessoas que estavam nos níveis intermediários de ambas as línguas e realizaram os exames. Claro que não com a pontuação devida que comprove fluência, mas os exames são realmente para determinar o nível de conhecimento nas línguas e não a fluência em si.
Vale a pena então fazer o TCFQ? Levando em consideração que, no nosso caso, teremos que pegar um avião de ida e volta para duas pessoas, e dependendo da situação até mesmo ter que passar um dia em hotel em São Paulo, é preferível gastar dinheiro apenas com a realização do exame do que com passagens de avião e estada. Volto a dizer que o TCFQ não necessáriamente isenta da entrevista pessoalmente, e pode ocorrer de ser necessária a entrevista mesmo com o TCFQ na mão.
É necessário apenas o aplicante principal prestar os exames IELTS e TCFQ, ou é necessário que o casal o faça? Basta apenas o aplicante principal obter tais exames para comprovação de proficiência. A proficiência das línguas para esposo(a) ou pareiro(a) em união estável podem ser comprovados apenas com a comprovação de horas cursadas nas línguas inglesa e francesa, mas nada impede a realização dos exames pelo casal, porém não há nada que comprove a maior chance de aprovação do processo.
Estando em um nível "iniciante" avançado em Francês e em Inglês, é possível obter bons resultados nos exames de proficiência e ainda realizar uma entrevista com tranqüilidade? Sim. Os relatos de quem já fez entrevista é que basta um nível intermediário de fluência, pelo menos, em francês para realização da entrevista. Quanto aos exames, há uma resposta acima que cita isto.
Conseguindo o CSQ, o que é indicado fazer? Continuar os cursos de Francês e Inglês nas mesmas instituições ou parar tudo e dar início a Francisation en ligne? Não obtive sucesso nas pesquisas quanto à isto. Então definiremos futramente.
Qual o período de validade dos exames? 2 anos oficialmente, porém o escritório de imigração pode ter critérios diferentes e não aceitar um exame realizado à mais de 6 meses por exemplo.

Acho que é isso. Se houver mais perguntas além das nossas que já respondemos e pudermos ajudar, editamos o post novamente.

Quando à fazer ou não o curso da EFQ paralelamente à Aliança, creio que irei fazer sim, e posteriormente dou minha avaliação sobre o método deles.

27 de julho de 2010

IELTS e TCFQ

Salut!

Pesquisando, pesquisando, pesquisando... Tem horas que a cabeça fica a ponto de piscar na testa "tilt tilt tilt". O problema agora é definir alguns valores que iremos gastar durante o processo e depois de chegar no Canadá. O que eu quero dizer?

Precisamos definir em média os gastos que teremos com Correios, solicitação de documentações, xérox, exames médicos do processo federal, possível viagem à São Paulo para entrevísta, e... os exames de proficiência de línguas inglesa e francesa. Neste caso o IELTS e TCFQ. Verifiquei que há outros autorizados, mas não há grande diferença de valores. Já não sei dizer a respeito do conteúdo das provas.

Nosso deadline de aprendizado das línguas está assim no momento:
Filipe: 
  • Finaliza Francês - Aliança Francesa (último nível avançado) em Julho de 2012;
  • Finaliza Inglês - Thomas Jerfferson (último nível avançado) em Julho de 2013;
  • E ainda estou pensando em cursar a EFQ (L'École de Fraçais Québécois) durante os semestres letivos paralelamente. (Por favor, me digam se vale a pena!)
Amanda: 
  • Finaliza Aliança Francesa (último nível avançado) em Dezembro de 2012;
  • Sem definições para Inglês até o momento.
Enviaremos o dossiê em Dezembro/11-Janeiro/12, ou seja, precisamos antes realizar os exames de proficiência e provavelmente entorno de maio-julho/12 estaremos fazendo a entrevista.

Com isso, possuo várias outras dúvidas com relação à língua e às provas...
  • É necessário apenas o aplicante principal prestar os exames IELTS e TCFQ, ou é necessário que o casal o faça?
  • Estando em um nível "iniciante" avançado (primeiro semestre do avançado) em Francês pela AF e em Inglês pela CTJ, é possível obter bons resultados nos exames de proficiência e ainda  realizar uma entrevista com tranqüilidade?
  • Conseguindo o CSQ, o que é indicado fazer? Continuar os cursos de Francês e Inglês nas mesmas instituições ou parar tudo e dar início a Francisation en ligne?
Todos que puderem colaborar em responder estas perguntas, estarei editando este post com as respostas para que seja útil à outras pessoas.

Obrigado à todos!

23 de julho de 2010

Brasil tem 3ª pior desigualdade do mundo

No trabalho recebo diariamente as principais manchetes dos jornais brasileiros, e acompanhando algumas capas de jornais de hoje, vi algo que não é novidade para ninguem e só me revolta cada vez mais em ver coisas desse tipo ocorrer. Veja os trechos originais da reportagem:

BRASÍLIA - Em seu primeiro relatório sobre desenvolvimento humano para a América Latina e Caribe em que aborda especificamente a distribuição de renda, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) constatou que a região continua sendo a mais desigual do planeta. Dos 15 países do mundo nos quais a distância entre ricos e pobres é maior, 10 estão na América Latina e Caribe. O Brasil tem o terceiro pior Índice de Gini - que mede o nível de desigualdade e, quanto mais perto de 1, mais desigual - do mundo, com 0,56, empatando nessa posição com o Equador.
(...)
O relatório, denominado "Atuar sobre o futuro: romper a transmissão intergeneracional da desigualdade", mostra que a concentração de renda na região é influenciada pela falta de acesso aos serviços básicos e de infraestrutura, baixa renda, além da estrutura fiscal injusta e da falta de mobilidade educacional entre as gerações.

Fonte: O Globo

Pra onde vai todo o dinheiro dos impostos? Pra corrupção, para política suja e superfaturada, para quem não precisa de dinheiro... E quando há repasse de verba para a educação ou saúde por exemplo, a corrupção ocorre também entre funcionários públicos, e máfias federais. Por que deste "jeito brasileiro" de ganhar nas costas dos outros sempre? Por que todos juntos não podemos lutar igualmente por um pouco de dignidade, fartura e ética? Por que é tão comum ver primeiras páginas de jornais dizendo:
  • País escapa por pouco da lista negra da lavagem
  • Sindicatos impõem desconto ilegalmente a aposentados
  • Aumenta o abismo entre ricos e pobres no DF
  • Milionários de olho na Câmara Legislativa
Daqui alguns dias haverão ações na bolsa de valores negociando cotas de vagas na Câmara Legislativa, sindicatos ricos e aposentados ainda mais miseráveis, dinheiro rolando solto à desnecessidade alheia...

Meu Brasil, brasileiro...

OBS: O objetivo deste post não é mostrar que o Canadá, ou qualquer outro país é o lugar dos sonhos. Problemas acima podem ocorrer em todo lugar, o fato é que estes já fazem parte da cultura brasileira, e isto sim é triste e revoltante.

20 de julho de 2010

Replanejamentos...

Bonsoir mes amis. (ó a evolução do garoto hehe)

Recebemos no post anterior um comentário que, sinceramente? Mecheu! De uma forma boa pra nós. A Alice citou que seria interessante se nós revíssemos nossos prazos e planejamentos, que originalmente era de emigrar em 6 anos, pois neste meio tempo (para não dizer imenso) podem ocorrer muitas mudanças no processo, e já estão ocorrendo. Por exemplo, profissionais da área de TI o qual o país está ficando saturado, e os processos já não visam tanto estes profissionais, tanto que no processo federal estes nem estão na listagem. Já a Amanda está, ela irá graduar-se em biologia, e a nova lista federal há profissões desta área.

De toda forma, aplicaremos pelo processo de Québec, e por enquanto, eles aceitam todos os profissionais (alguns são pré aprovados). O que era 6, virou 3 anos. (noooooooossa!) Nossa mesmo. Vimos que realmente não vale a pena ficarmos pelejando, tranquilos, "super" planejando o que vai ou não sei... Enfim, enxugando o tempo desnecessário e o dinheiro gasto neste período, chegamos à um novo prazo bem bacana.

Com isto, daremos início ao nosso processo em meados de Dezembro de 2011 e Março de 2012. Este período, mais o tempo de processo (estimamos uns 2 anos) será o suficiente para nos prepararmos financeiramente, profissionalmente, linguisticamente, e (esperamos que sim) psicologicamente.

Como a própria Alice diz, é perigoso seguir conselhos de blogueiros, mas neste caso foi necessário. Risos. Claro que não faremos nada "na louca", teremos ainda um bom replanejamento pela frente, e tudo que possível, postaremos aqui.

Aos que não sabem, estamos realmente bem no início de tudo isso citado acima, com pequenos avanços. Estaremos neste período focados em avançar bem a língua francesa e inglesa, deixar o currículo bem bacana, se privar de algumas coisinhas ($$$$$)... Enfim, quem já passou por isso sabe. Tenho certeza que valerá a pena todo o esforço agora.

Será que agora vai?! Torçam! :)

OBS: Tirei 57 de 60 na prova de sexta-feira. :)

17 de julho de 2010

Segunda Semana de Intensivo AF

Dia para respirar... hehe
Ontem finalizei a segunda semana do intensivo da AF, a canseira é ascendente, mas estou acompanhando melhor agora apesar de ainda achar que estou um pouco atrás do nível da turma.

Já nesta sexta-feira fizemos a primeira prova escrita, e foi realmente bem fácil. Me lembrou aquelas provas de inglês no ensino médio. Mesmo achando a prova fácil, caí numa pegadinha de uma questão que era para calcular a idade de duas pessoas e ainda esqueci de utilizar os "pronon possessif" em uma questão que poderia ter utilizado. Neste último caso eu não errei a questão, mas ficou muito repetitiva. Nada muito fora do padrão pra um iniciante em qualquer língua.


É fora de questão imaginar que já cursei 32 horas de francês, e no final das próximas duas semanas, 64 horas! Quem busca por horas para comprovação sabe que isso é bastante para 1 mês de curso.

De toda forma, vejo que não iria suportar fazer mais 8 semestres/níveis em intensivos durante o semestre. (Hã?) A AF tem cursos intensivos onde você faz 3 semestres/níveis em 1 semestre, estudando de segunda a sexta a noite toda, como estou fazendo neste intensivo de férias. A diferença é que estou fazendo 1 semestre em 1 mês.

Vejo que essa questão de fazer super-intensivos é realmente recomendada apenas a quem precisa disso com urgência e tem pouco tempo, 2 anos ao invés de 4 e meio, para ter um bom conhecimento na língua. Nos intensivos você faz poucos exercícios de aula, há poucos exercícios para casa (quando há), já no regular você tem tempo para treinar mais a escrita e leitura.

O que eu quero dizer com tudo isso basicamente? Os cursos intensivos são recomendados para quem quer melhorar a fala e escuta. Os cursos regulares são recomendados para quem quer melhorar a escrita e leitura. Por isso, quem faz só o regular a vida toda, diz que no final das contas não gostou muito, pois não tem tanta fluência falada. O mesmo ocorre para intensivos, só que para a escrita.

Farei ambos intercalados. Agora faço intensivo de 1 mês, depois 1 semestre regular, depois intensivo de 1 mês, e por ai vai... Desta forma, estou prevendo finalizar o francês em 2 anos e 1 mês. Basicamente o mesmo tempo se eu tivesse fazendo todo intensivo. Assim conseguirei, além de acelerar meus estudos no francês, ter um bom nível em todos os campos necessários da língua: leitura, escrita, fala e escuta.

Agora fora um pouquinho do assunto Curso de Francês, devo citar algo que gostei bastante de ter ocorrido nesta semana. Conheci o Rafael e a Lídia, que estão fazendo o intensivo na AF também, e me reconheceram nos corredores da Aliança, pois tinham lido meu blog. Eles planejam dar início ao processo de Québec em Janeiro de 2011. É bom ver que o blog tem, mesmo que devagar, sido acompanhado por outras pessoas com as mesmas finalidades.

É sempre bom compartilhar informações com outras pessoas, e até mesmo novas amizades a partir disso!

Torço para o casal, e espero que continuemos juntos na vida de blogueiros aspirantes a canadenses. Risos.

Abraços.

8 de julho de 2010

Primeira Semana de Intensivo AF

Primeiramente, não esqueci o blog. Risos.
Essas duas semanas foram realmente bem pesadas... Início do francês, volta pra academia, conclusão de pré-projeto da pós, "zilhões de esquentações" de cabeça no trabalho... enfim, díficil!

De toda forma, não foi pra chorar as pitangas que eu vim aqui escrever! Como já dito, nesta segunda-feira passada iniciei o curso de Inverno da Aliança Francesa. O professor é o Pedro Buncher (acho que acertei o segundo nome), ele é Suíço-Brasileiro, natural de Brasília. A turma inicialmente tinha 19 pessoas, e claro, ficou inviável e por isso dividiram a turma em duas.


Não sei se é minha cabeça que está a mil ou se francês é realmente complicado, mas me sinto muito distante da turma já nesses 4 dias de aula (não foi bem uma semana até a escrita deste post). Tenho sentido muita dificuldade, e daí lembro do português, do inglês. Não tenho conseguido fixar frases simples como "Vous vous appelez comment?", é mole? Toda vez tenho que ficar pensando um pouco pra falar, e as vezes nem vem a frase...


Pelo menos as pronúncias das palavras eu estou conseguindo falar bem. Vou tentar neste fim de semana ficar lendo textos em francês, pra treinar a pronúncia, conjugar alguns verbos e escrever alguns diálogos básicos, que foi basicamente o que foi explicado em sala de aula. Nesta semana também houve a apresentação de pronúncia do alfabeto, os números de 1 à 69, estou curioso pra saber como é daí pra frente visto que não são decimais, e as apresentações (nome, nacionalidade, profissão), salutations et prises de congé (formas de "oi" e "tchau" basicamente risos).

Faltam mais 3 semanas, e espero até lá estar bem o suficiente pra poder passar ao próximo nível e ficar mais adequado à língua. Não imaginam a dificuldade pra mim hoje! Muitos odeiam a rotina, mas não vejo a hora de entrar na rotina do francês, pois essa canseira é de matar!

É isso, se já passaram por algo semelhante e podem me dar dicas de como me ambientar mais no francês nesse primeiro momento, pra um marinheiro de primeira viagem, será ótimo e agradeço!

Até logo!

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.