28 de dezembro de 2011

Viagem à Montréal: Percepções

Bom, dando continuidade à série de artigos sobre minha viagem à Montréal neste fim de ano, hoje irei falar sobre minhas Percepções sobre a cidade.

Transporte
Logo quando chegamos, já vimos um ônibus parado na porta do aeroporto (o tal Shuttle Bus, ou Express Bus), que também faz parte da STM (Societé de Transport de Montréal).

Comprei os tickets para utilização do transporte público ilimitado por um dia, e já pegamos o ônibus. O motorista, muito paciênte, já se dispôs a ajudar quando perguntamos como poderiamos chegar ao nosso destino, e inclusive nos deu um mapa para acompanharmos o trajeto do ônibus.

Sem citar que alguns ônibus possuem internet, ou seja, se você estiver com um iPad, Note/Netbook, ou qualquer outra coisa que acesse a internet, você pode utilizar o Google Maps para navegar pela cidade.

E por fim, nada se atrasa por um bom motivo. Se o ônibus não quebrar, bater, capotar (rs..), ele chega sim na hora que ele está previsto. Você viu no Google Maps que o ônibus estará na parada às 9:32? Acredite, ele vai estar às 9:32, em ponto.

Limpeza
Apesar da cidade não possuir muitas latas de lixo para todos os lados como é em Brasília, não é possível notar o mesmo nível de sujeira de Brasília.

As ruas não são impecáveis, mas são muito, mas muito mais limpas do que estamos acostumados a lidar. A única coisa que se nota bastante são restos de cigarros pelo chão da cidade.

As pessoas fumam bastante, muito mais do que em Brasília.

Talvez pelo frio, não sei.

Educação e Gentileza
Isto, creio eu, todos já estão cansados de saber.

Não importa onde você vá, sempre terá pessoas educadas e gentis. Ninguém esbarra em você sem dizer "Excusez-moi". Se você diz "Ça va!" em uma loja, os atendentes não ficam te oportunando oferecendo cartão da loja, isso, isso e aquilo.

Todos se posicionam à direita nas escadas rolantes, em todos os lugares, para dar lugar aos atrasados que precisam passar.

As pessoas, de um modo geral, são muito amigáveis e receptivas. Não há o que dizer contra isso.

Maluquisses
É possível notar mais maluquisses no Canadá do que no Brasil, fato.

O que quero dizer?

Imagine estar andando na rua normalmente, e do nada escutar um homem enorme gritando igual à um Orc dos Senhor dos Aneis. Era possível ver que ele estava MUITO estressado, e essa foi a forma que ele encontrou de "extravasar", muito embora, não passe disso. Ele pode gritar feito um louco, mas ele não vai agredir nem ofender ninguém. Cada um no seu quadrado.

Presenciamos também uma briga de um casal de indigentes na rua, e novamente, deixe eles no lugar deles brigando, e nada vai acontecer.

Mendigos
Muitos diziam que haviam muitos mendigos próximos da estação de metrô Berri-UQAM.

Na verdade, não notei exatamente isso. Notei que há mendigos por todos os cantos da cidade, praticamente.

Quando falo mendigos, digo pessoas pedindo dinheiro. É estranho ver pessoas bem vestidas, e algumas até muito bem vestidas, pedindo dinheiro. E isso existe.

O motivo para isto, eu não sei.

Vimos alguns jovens, bem vestidos, pedindo dinheiro. Talvez para drogas, não sei.

Músicos
Em muitas estações de metrô, é possível notar um lugar com uma plaquinha igual à uma arpa, ou então simplesmente um lugar com uma tomada na parede.

Esses lugares, quase sempre, possuem um músico qualquer tocando.

A variedade é enorme. Vocal (acapela), violão, guitarra, acordeão, flauta, sax, trompete, baixo, teclado à sopro (eu não sei o nome), e uma variedade ainda enorme.

Encontramos inclusive um senhor, de traços mexicanos, tocando uma música do Super Mario World no acordeão. 

Fantástico! rs..

Água
Não tomamos a água da torneira, ou uma água filtrada da torneira. Somente água engarrafada.

A água engarrafada, as que pegamos pelo menos, tem um gosto muito ruim. Digo ruim, pois não estamos acostumados com o gosto.

No geral, a água é sim diferente da água brasileira.

Desperdicio
Infelizmente, notamos um alto nível de desperdício de muitas as formas em Montréal.

Por exemplo, a maioria dos lugares usam lâmpadas 100w amarelas (e são muitas), ligadas praticamente 24 horas por dia.

No hotel em que ficamos, no banheiro que é bem pequeno, tinham 3 lampadas de 100w amarelas, que geralmente utilizamos pra iluminar uma grande sala no Brasil.

Comida é outra coisa que notamos um grande desperdício. Há um lado bom, e outro ruim nisto. O lado bom é que, em qualquer lugar que você for, você come com muita fartura e pouco dinheiro. O lado ruim é que, em algumas dessas situações, é difícil comer tanto, e isso vai pro lixo. E gente, é muita comida mesmo jogada fora!

--

Creio haver algo além disto, mas no geral é isto.

Se lembrar de algo mais, volto a escrever em um novo artigo sobre as Percepções.

Deixei suas dúvidas também, que responderei!

Abraços!

27 de dezembro de 2011

[OFF-TOPIC] Problemas com o visual do Dream on Canada

Bom, já há algum tempo que o visual do Dream on Canada estava dando alguns problemas.

Algumas imagens não apareciam, a estrutura ficava estranha na tela, não era possível ler os posts. Acabou que ficou impossível alguém vir ao blog, utilizar as informações que nele estão e interagir comigo devido à estes problemas.

Dado à este fato, optei por hora, colocar um tema visual genérico, apenas para manter as informações disponíveis aos leitores do blog. 

Tentarei em breve dar um novo visual ao blog, para manter pelo menos um pouco do capricho do tema anterior.

Próximo artigo: Viagem à Montréal: Percepções

Aguardem!

20 de dezembro de 2011

Viagem à Montréal: Custos

Olá pessoal!

Hoje irei falar um pouco a respeito dos custos relacionados diretamente com a viagem, mas que também creio serem informações úteis para os primeiros dias dos imigrantes em Montréal.

Passagens aereas
Bom, aqui, por total desconhecimento e "afobação", comprei as passagens muito, mas MUITO tempo antes da viagem. Algo entorno de 8-10 meses antes. Dizem que comprar antes é garantia de menor preço. MITO!

O fato é que paguei algo entorno de R$ 2.300,00 na passagem e também no seguro viagem (saúde e bagagens). Esse é o valor médio para passagens de ida e volta para o Canadá. Pra quem vai pra Toronto, creio ser um pouco mais barato. Agora quem vai pra qualquer outro lugar do Canadá, geralmente ocorre uma escala nos EUA, ou em Toronto, e acaba ficando mais caro.

Esse preço é a média para ir para Montréal e voltar para o Brasil, mas é possível conseguir abaixar bastante esse valor se você pesquisar bem.

A dica é, não compre com tanta antecedência! Até 2 meses antes está de bom tamanho!

Digo isto, pois 4 meses após comprar as passagens, saiu uma promoção da Copa Airlines com passagens à R$ 1.400,00.

Esse valor que paguei foi voando de American Airlines, que não achei nada acima da média. Bem razoável o serviço deles. Creio que os vôos da Air Canada são mais caros, porém possuem menos escalas, e em alguns casos, nem passam pelos EUA. Neste caso, você não precisa nem mesmo tirar o visto americano pra ir pro Canadá.

Hospedagem
Este quesito, confesso que pesquisei muito pouco. Acabei seguindo conselhos de imigrantes que acabaram ficando no Berri Suites.

Nada mais é que um pequeno prédio de suítes. Algumas maiores, outras menores. 

Pagamos CAD$ 580,00 pelos 16 dias que ficamos por lá para ficarmos na suíte pequena.

O quarto pequeno é o bastante para um casal. Se tem filhos, ou acompanhante, então a suíte maior talvez seja uma opção melhor.

Quanto à qualidade do local, de forma geral, é um lugar bem simples. É possível notar certo descuido no banheiro, nos acabamentos do quarto, na pequena cozinha. Apesar disso, tem o mínimo de limpeza, e é mobilhado com o mínimo para se viver. Neste caso, leia-se: fogão elétrico de 2 bocas, 2 frigobares, microondas, talheres e pratos (estes em condições muito precárias. Sugiro comprar quando chegar), armário para aparatos de cozinha, closed para roupas, cama de casal comum, gaveteiro para roupas, mesa com 2 cadeiras e televisão. Além de internet de boa qualidade Wi-fi ou com fio, aquecimento, luz, água fria/quente.

A vantagem é que fica à 5 minutos da estação de metrô Berri-UQAM (linhas laranja, verde e amarela) e à uns 8 minutos da Champ-de-Mars (linha laranja). O Express Bus que vem do aeroporto, e que aceita Cartão OPUS (irei explicar mais sobre ele depois) passa em frente, possibilitando economizar até com o táxi.

Tanto para viajantes, quanto para imigrantes, pode ser uma boa opção devido a localização para ir à locais próximos ao centro. Da pra resolver a vida inteira só utilizando metrô e ônibus, mas com certeza não é uma opção para moradia por longos períodos.

Alimentação
Comparado com o custo de vida de Brasília, e não realizando uma comparação de câmbio entre dólar canadense e real, eu achei quase tudo muito mais barato em Montréal que em Brasília.

No supermercado, é possível comprar de tudo, até as besteiras que de vez enquando queremos comprar, sem gastar muito. E quase sempre, produtos de qualidade superior aos produtos vendidos aqui.

Por exemplo, é possível encontrar galão de 3,5 litros de suco de várias frutas por 2 dólares. Cereal matinal, caixa de 1 kg (é MUITO grande mesmo), custa 3-4 dólares. O arroz e feijão de cada dia é mais ou menos o mesmo preço. Quanto às carnes, como ficamos um período curto e não tínhamos onde fazer, não procuramos saber.

Claro, há sim coisas mais caras do que o que temos em Brasília, por exemplo. O Matheus e a Sônia citaram, por exemplo, o café, que em Montréal é bem caro caso você goste de um café de qualidade.

No geral, creio que um casal vive com boa fartura de alimentação todo mês com algo entorno de 500 dólares, ou até uns 800, caso você goste de comprar algumas coisas mais sofisticadas.

Transporte
Este é um caso que espanta logo quando chegamos. Calma, espata para melhor. rs..

Depois irei falar um pouco do funcionamento em si, hoje irei falar sobre os valores.

Logo quando chegamos no aeroporto, fomos procurar a máquina do Cartão OPUS, que é o cartão utilizado em todos os transportes públicos (STM, para a ilha de Montréal). Infelizmente não achamos, e acabamos por comprar o passe diário, que custa 8 dólares, também na máquina.

No dia seguinte, era um domingo, tivemos que comprar também um passe diário, pois o semanal vale de segunda a domingo, e iria vencer no mesmo dia caso comprassemos.

Na segunda-feira, compramos o passe semanal, que custa 22 dólares.

E gente, pra quem quer viajar ou novos imigrantes, que não possuem condições imediatas de ter um carro, o transporte público é barato, e os passes diários, semanais e mensais são ilimitados. Você pode pegar 15 ônibus, e 32 metrôs por dia, e não irá pagar mais do que o custo que pagou pelo período.

Não preciso nem dizer que isso é utopia para nossa "maravilhosa" Brasília...

Por hoje...
...é só! Creio que aqui abordei um pouco dos custos básicos para ir e sobreviver em Montréal. Caso haja algo que eu não tenha dito, deixem suas perguntas e sugestões, e faço um novo post sobre custos complementando este daqui.

Nos próximos irei abordar um pouco as localizações, como utilizar transporte público, como é o tratamento das pessoas e nas lojas, pontos turísticos, francês e inglês, etc.

Espero ajudar com essas informações!

Abraços.

19 de dezembro de 2011

Estou, infelizmente, de volta à Brasília

Olá pessoal!

Antes de qualquer coisa, quero agradecer à TODOS (inclusive à Carolina que só trás notícia ruim. Rs.. Brincadeira!) pelo apoio e força que vocês deram no último post. Não consegui responder à todos, mas farei isso de pouco em pouco! 

Tenho certeza que essas alterações no processo, no fundo no fundo não foram tão substanciais assim, mas jogaram de fato um balde de gelo puro em muita gente.

Hoje, muito embora, não vim para falar de notícias ruins!

Como o título desta postagem já disse, cheguei hoje de Montréal após 16 dias à 0º C. A viagem foi muito boa mesmo!

O impacto de realidades é MUITO, mas MUITO grande mesmo. 

Saber que até a pessoa mais rude é mais educada que muitos brasileiros, é reconfortante. Saber que se pode passar 16 dias (e com certeza muito mais que isso) utilizando somente metrô e ônibus pra cima e pra baixo, é interessante. Saber que meu francês está muito aquém do que eu gostaria e necessito ter, apesar do inglês ter trabalhado bem durante todo o tempo na viagem, é preocupante. Saber que pelo menos 95% das coisas são mais baratas em Montréal, do que em Brasília, é tranquilizador.

Decidi por contar um pouco de cada etapa da viagem, separando por alguns posts, pra ficar um pouco mais organizado, e de fácil acesso aqueles que precisarem destas informações.

Apesar disto, vejam que 16 dias pode não ser nada comparado com aqueles que já vivem por lá faz tempo. Então todas as minha opiniões daqui para frente serão, APENAS, minha visão sobre os assuntos.

Hoje não irei falar muito, apenas deixar aberto os próximos posts para que perguntem o que quiserem sobre a viagem e este período em Montréal. Terei o maior prazer em compartilhar as informações por aqui.

Vou tentar também disponibilizar as fotos no Flickr.com para que vejam um pouco de como foi a viagem.

Amanhã ficarei por conta de procurar cursos preparatórios e datas para TCFQ e IELTS em Brasília. Em breve compartilho também estas informações com vocês. Por falar nisso, a Cultura Francesa está fazendo uma promoção para curso intensivo de férias (para Janeiro de 2012) por R$ 380,00 no site de descontos Clickon. Para os interessados, segue o link: http://www.clickon.com.br/Brasilia/D15476

Então, por hoje é isto!




6 de dezembro de 2011

Balde de gelo puro: Processo de Imigração

Olá pessoal! Estou em Montreal (viajando), mas ainda não vim hoje para falar disso. Recebi um comentário da Carolina no último post que me deixou muito mas muito triste com a nossa situação hoje. Nossa espectativa era enviar o dossiê até no máximo 23 de Dezembro, porém isso nao será mais possível. Devido às mudanças no processo de imigração, os processos enviados à partir de 6 de Dezembro nao poderão mais informar qualquer informação para comprovação de nível de proficiência. Somente serão aceitos agora dossiês com algum teste de proficiência reconhecido pelo BIQ para as línguas francesa e inglesa. Aqueles que nao enviarem, nao receberam nenhum ponto. Nao sei se também serão eliminados caso nao sejam enviados. E bom... Talvez eu tenha o TOEIC ate Janeiro, mas nao tenho qualquer certificado para o francês... Nao tenho nem noção de quando será o próximo teste para o TCFQ e estava contando com o prazo ate a entrevista para me preparar ainda mais. Agora, o jeito vai ser encontrar um curso de francês mega sônico, correr contra o tempo e tentar enviar o dossiê o quanto antes... Estava feliz por poder finalizar esta difícil etapa do processo (o inicio dele), mas ela esta novamente apenas começando. É isso. Um post um pouco triste, Mas depois conto um pouquinho de como tem sido a viagem. Desculpem o texto mal escrito. É que nao estou em um computador. Abraços.

1 de dezembro de 2011

Processo de Imigração mais exigente e difícil?


Pessoal, li há pouco uma notícia não oficial, que me preocupa DEMAIS!

Conforme a fonte da informação, as notícias foram obtidas com o Sr. Gilles Mascle do BIQ.

Vejam vocês mesmos a mensagem oficial:

Salut tout le monde,


Conversei com Gilles ontem a noite depois da palestra sobre imigração. Fiquei sabendo de umas coisas que quero comunicar para vocês. 


A partir de janeiro ou fevereiro, o escritório de imigração do Québec ficará em Mexico City. Assim, o processo vai demorar mais ainda. 


Também, em janeiro ou fevereiro, começarão a obrigar os candidatos à imigração a fazer a prova de francês. Isso também deixará o processo mais demorado pq vocês terão que atingir o nivel de francês necessário antes de mandar a documentação. Hoje, vocês podem mandar a documentação com nivel menor e continuar estudando para ter o nivel de francês necessário no dia da entrevista.


Porque? O Primeiro Ministro do Québec, Jean Charest, pediu para a Ministra da imigração diminuir o orçamento ainda mais. Não é que eles não querem mais imigrantes, mas eles não querem gastar tanto com eles. E não é que eles querem menos Brasileiros. O escritorio de Paris vai ser em Montréal. Estão simplesmente diminuindo os gastos. 


Gilles me disse também que acha que o processo federal não vai ser mais rápido ano que vêm. Tomará que ele esteja errado!


Conclusão: Recomendo aos que tem condição de mandar o dossiê en janeiro (que tem como conseguir os documentos necessários e que jà tem um tempinho de francês), mandarem em dezembro mesmo.


Bonne chance à tous!

--

Com isto, perguntas e mais perguntas serão geradas. Eu pelo menos tería as seguintes:
  • Vai demorar mais, quanto?
  • Escritório de Imigração do Québec em Cidade do México... As entrevistas serão lá também?
  • O nível de francês deverá ser mais aprimorado do que o solicitado hoje?
  • O processo hoje já está levando algo na casa dos 2 anos. Vai subir muito além disto?
Só aqui já temos muito "caldo pra esse feijão"... Poderiamos imaginar "n" preocupações diferentes se estas noticias vierem a se oficializar de fato.

Nós já iremos enviar nosso dossiê na segunda quinzena de Dezembro. Todos que puderem, antecipem ao máximo seus planejamentos para também enviar se possível dentro deste período. Mesmo que estas informações não sejam verdadeiras, não é de hoje que vem se falando em mudanças no processo de imigração para 2012. E isto, por sua vez, é algo oficial no qual o BIQ vem buscando e já inclusive publicou algo a respeito.

Fiquem atentos!

De toda forma, à turma que irá participar das palestras de imigração, confirmem estas informações por favor, e nos deixem informados!

Por falar em palestra de imigração, fiquem espertos, pois semana que vem terão palestras em Brasília!

Um abraço, e até a próxima!

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.