24 de fevereiro de 2014

Intercâmbio ou não?

Me encontro num grande dilema com relação a imigração...

O que a pergunta do título do post tem a ver com imigração? Pois bem...

Essa semana enviarei a atualização do meu dossiê ao BIQ Mexico, constando a inserção da minha esposa, com os documentos traduzidos e pagamento da taxa para conjoint. Ela não possui um pingo de francês, então não pontuará neste quesito, e sua profissão está na lista dos 6 pontos.

Anteriormente, eu pontuaria facilmente para receber CSQ em casa, mas com a mudança nas regras, tem gente que enviou TCFQ com resultado B1, e já recebeu email do BIQ pedindo pra atualizar o teste para B2. Aí que eu entro com meu dilema.

Com a alteração do processo, provavelmente eu fique no limite da pontuação para casal, e ainda tenho o complicador do TCFQ. Anteriormente tirei B1/C1. Ou o BIQ considera a média dos fatores como B2, ou serei solicitado em breve a fazer um novo teste para tirar B2.

Devido aos custos com estudo do francês, há muito tive de parar de estudar a língua, e é basicamente impossível conseguir tirar B2 em um novo TCFQ nos próximos 3-5 meses, prazo este que é uma estimativa pessoal minha de que eles me chamariam, seja para entrevista ou para envio de um novo TCFQ.

Cheguei a cogitar um intercâmbio de 4 semanas a "toque de caixa", dentro dos próximos 4 meses, para fazer 160 horas de francês e buscar atingir o B2 em tão pouco tempo.

Avaliei algumas possibilidades no Brasil também, mas não encontrei nenhuma opção que valesse o investimento de dinheiro e tempo, até porque não existe um curso de francês que me possibilite estudar 160 horas em um mês...

Então estou aí... Faço ou não um intercâmbio? Lembrando que essa brincadeira, se eu optar em fazer, vai me custar facilmente algo entorno de 9-11 mil reais (passagem, curso, estadia, alimentação, transporte)... Já fico maluco só de pensar... Se fizer no Brasil, com professores particulares, por exemplo, posso gastar menos, mas não ter a certeza de alcançar o B2.

O que acham? Sugerem mais alguma opção?

9 comentários:

  1. se so morar por um tempo em outro pais fosse seguro e certo de ser fluente, ...as escolas nao estariam cheias e todo mundo que se muda seria fluente na lingua. Doce ilusao. ja esta provado que mudra de pais nao torna ninguem fluente. Tem imigrantes a 40 anos aqui que nao falam ingles/frances. Ninguem me contou. Tenho um vizinho que ate hj nem atende o telephone da casa dele.Os filhos nascidos aqui atendem. Conclusao: para aprender a lingua, so estudando/praticando seja la onde for. Depende so de voce. Mas por este preco aprende ai mesmo. ps: as pessoas que tem ingles fluente que conheco aprenderam no Brasil, aqui so se ajustaram e praticaram para melhorar sotaque.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo, o grande desafio é encontrar uma escola de francês no Brasil preparada para me levar ao B2 em até 3 meses, estudando todo o B1 e B2. A prática em si, concordo contigo.

    ResponderExcluir
  3. OI Leandro! Tudo bem?

    Bom, parabéns pelo casamento!

    Vou compartilhar com você um pouco da minha experiência em relação a esse tema, ok?

    Como o processo através do BIQ está demorando horrores, eu e meu marido resolvemos tentar o plano B antes do esperado. Ou seja, já estamos aqui no Canadá desde setembro/2013.
    Nossa idéia é melhorar o francês e depois eu me matricular na Université de Laval para conseguir um visto de 3 anos e esperar aqui o fim do processo. Pois bem, até agora tudo está caminhando como o previsto e para receber a carta de aceitação da Universidade, só me falta apresentar o resultado do teste TFI (fiz a prova sábado), o restante já foi avaliado por eles. Como esse processo de trabalhador qualificado é tão volátil, se tudo mais der errado, depois do término da universidade eu poderei pelo menos submeter para o PEQ…

    O que posso te dizer é que fazer 1 mês de francês aqui (estou em Ville de Québec) é uma boa idéia, principalmente por que é uma cidade 100% francófona e você vai ter oportunidade de praticar em cada esquina, com qualquer pessoa. Mas não sei se é garantia de tirar B2. Eu agora estou fazendo aulas particulares com uma professora aqui e posso garantir que evoluí muito mais com ela em duas semanas de aula (4 horas/semana), do que na escola onde fazia 30 horas/semana. O que quero te dizer com isso tudo é que eu tinha uma idéia completamente diferente do que era fazer intercâmbio for a do Brasil, achava que com tantas horas diárias, eu evoluiria muito mais do que realmente aconteceu (e olha que eu sou super disciplinada e me dedico muito). Meu marido que não tinha nenhum nível de francês antes de vir para cá ainda está estudando na escola, mas depois de 2 meses de aula, ele também chegou na mesma conclusão que eu.
    Para poder fazer uma comparação mais justa, eu fiz 3 cursos intensivos na aliança francesa em Brasília quando estávamos preparando o nosso dossier para enviar ao México, não é nada diferente do que você vai ver aqui, eles usam o mesmo livro por exemplo...inclusive achei que os cursos da aliança eram mais puxados...tive uma professora aí em Brasília que realmente foi a melhor que já tive até hoje.

    Não sei se te confundi ainda mais ou se minha experiência aqui pode ter te ajudado de alguma forma, mas depois de ter passado 3 meses em Toronto fazendo curso de inglês, 3 meses aqui em Ville de Québec, sendo 1 mês de curso intensivo e 3 semanas de aulas particulares, o que eu realmente acho que funcionou para mim, foram as aulas particulares e self-study…

    By the way, eu tinha B2 no momento do envio da demanda do CSQ…mas agora perdi 2 pontos por conta da compreensão e produção escrita. Estou repensando em fazer a prova, mas gastar CAD 350,00 para fazer outro teste, está me deixando um pouco desanimada também…

    Bom, é isso! Um abraço e boa sorte!
    Stefânia

    ResponderExcluir
  4. Me encontro numa situação parecida, porém, com medo de novas mudanças, estarei entregando meu dossiê agora em março (primeira semana) ainda com medo de não conseguir que meu processo seja aberto, mas vou arriscar pois não tenho tempo! Meu conjoint não tem francês e tão pouco um profissão que conta pontos! Pelas minhas contas estamos com 59 pontos, falta 4 pra conseguir o CSQ, que esperamos conseguir na entrevista. Eu falo um francês mediano e no momento não pretendo investir no francês por falta de dinheiro. Eu acho que se você tem a pontuação necessária nem deveria ir, deveria montar um plano bacana pra apresentar na entrevista e ficar confiante.Não sei da sua situação financeira, mas é muito dinheiro pra pouco retorno, porque talvez nem dê certo!

    ResponderExcluir
  5. Stefânia, obrigado pelas ótimas dicas!

    Minha impressão era exatamente esta sua: com tantas horas por semana, iria avançar imensamente meu nível. Ainda bem descobrir contigo que não é bem assim!

    Estou avaliando a possibilidade de fazer aulas particulares aqui também, para avançar o máximo possível. Estou até mesmo pensando em tirar férias para me dedicar a isto integralmente.

    Ainda estou vendo o que valeria a pena fazer, pois mesmo as aulas particulares, além de caras, é difícil encontrar uma escola de francês que se dispõe a dar aulas particulares integralmente.

    Estou vendo que terei que encontrar apenas um professor disposto a dar aulas todos os dias, mesmo que seja 1 hora por dia, e estudar sozinho em casa mesmo, tendo fé de que receberei o CSQ em casa ou que terei tempo suficiente para alcançar o B2 em 3 meses.

    Pensamento positivo, que Deus trará bons resultados! :)

    ResponderExcluir
  6. Rita, pois é!

    Isto ia, realmente, me "quebrar as pernas" com relação ao custo. Não esperava mesmo gastar tanto dinheiro, ainda mais de uma hora pra outra assim.

    A preocupação é realmente sobre o TCFQ. Se eles me pedirem uma nova prova, com o prazo que geralmente dão de 60-90 dias, seria pouquíssimo pra conseguir alcançar o B2. Mesmo já sabendo que estou de fato no B1 e talvez falte pouco para subir mais um nível, fico realmente preocupado.

    Mas vamos em frente, firmes que dará certo!

    ResponderExcluir
  7. Filipe, meu caro... olha, a gente aqui só pode realmente dar sugestões, mas tem coisas que só você conseguirá avaliar: seu interesse real em aprender o idioma, o tanto que você absorve em aulas em grupos versus aulas particulares, sua capacidade e tempo de se dedicar exclusivamente a aprender o idioma e por aí vai.

    Como já falaram aí em cima, fazer a viagem, por mais que seja excelente para você melhorar o idioma, não vai te garantir esta ou aquela nota. Então, se optar por ir mesmo, além de dar o suor e o sangue para fazer valer a pena, tem que estar consciente que, mesmo assim, o B2 pode não vir. Eu realmente acredito que, hoje em dia, com tanta tecnologia à disposição, é relativamente fácil aprender muita coisa de qualquer idioma. O que vai ditar seu avanço é seu interesse, sua disposição e quanto tempo você pode se dedicar a isso. Eu, no seu lugar, provavelmente não faria a viagem apenas com esse intuito. Provavelmente, eu iria atrás de professor particular (não abomino aulas em grupo, mas elas não são o melhor jeito para aprender, na minha opinião), mesmo que fosse pra passar só 2 horas com ele por semana, e sentaria várias horas por dia por conta própria, treinando os ouvidos, a escrita (que você poderia levar para o professor corrigir), gramática e por aí vai. Se você tiver disposição e tempo, acho que conseguiria estudar as mesmas 160 horas de francês aqui mesmo e talvez rendesse mais, porque você vai focar em você mesmo, nas suas dificuldades e dúvidas, em vez de ficar esperando o colega do lado tentar acertar a conjugação do passé composé pra dizer o que ele comeu no café da manhã...

    Mas, claro, isso sou eu. Se você funciona mais na sala de aula, se acha que precisa da interação com uma turma e um professor, não vai ter estudo por conta própria e nem tecnologia que dê jeito. De qualquer forma, continuo aqui torcendo para que a sua escolha, qualquer que seja, te deixe tranquilo e dê os resultados necessários.

    Abs!

    ResponderExcluir
  8. A ídeia de estudar Francês em Ville de Québec, é uma ótima opção, pois Montreal vc iria ter mais contato com o inglês, português, em Ville de Québec, você terá francês 24 horas por dia, eu acho que uma boa opção, e em 1 mês, é só você ter foco, que vai conseguir sim ^^

    Boa sorte

    ResponderExcluir

Obrigado por me acompanhar! :)

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.