24 de julho de 2014

Email do BIQ - E a história ficou assim...

Bom, como vocês notaram no post anterior, eu recebi uma Intention de Rejet.

Tecnicamente, esta Intention de Rejet foi injusta, pois enviei o dossiê em Julho de 2012. As regras foram divididas em dossiês enviados antes de Agosto de 2013 e depois de Agosto de 2013. Recentemente (em Abril) o processo de imigração por Quebec sofreu uma mudança, onde poucos ficaram sabendo, inclusive eu, e que impactou todos os processos abertos e que ainda não tinham recebido CSQ. A mudança foi: TODOS, sem exceção, todos os processos serão avaliados sobre a nova regra de 2014, onde, entre as exigências, é necessário que o aplicante tenha ao menos nível B2 em francês para pontuar. Não importa e você mandou em 2011 e 2012, onde as regras pediam B1. Você vai ter que rebolar pra fazer outro TCFQ e atualizar sua nota.

Isto eu fiquei sabendo após mandar e-mails para vários agentes de imigração do BIQ México, inclusive para a diretora. E bom, injustiça por injustiça, já vivemos o bastante dela no Brasil. Fui prejudicado por essa decisão, mas agora não adianta ficar reclamando se meu objetivo é sair do país. Tenho que correr atrás.

O que consegui com a troca de e-mails com o BIQ:
  • Devido às datas de realização do TCFQ estarem fora dos 90 dias concedidos pelo BIQ inicialmente, ganhei mais 90 dias, totalizando um total de 180 dias totais para enviar uma nova pontuação de francês e melhorar pontuação preliminar para igual ou maior que 57.
  • Apesar do quadro de matérias de graduação da esposa não ter sido traduzido por descuido meu, eles reavaliaram os documentos dela, e por ter o diploma universitário, me deram mais 2 pontos indo então para 56 ponto ao invés de 54.
Tenho duas estratégias na manga:
  1. Tenho o resultado do TCFQ que realizei no início deste ano, onde pontuei B2/B2/B2/B1. Infelizmente este B1 foi em expressão oral, pois estava ansioso no momento da prova e não me saí bem. De toda forma, este TCFQ me garante 1 ponto a mais do que o TCFQ enviado com C1/B1, o que me permite alcançar 57 pontos no limite. Esta estratégia eu apenas utilizarei em último caso. Então, teoricamente, este é o plano B.
  2. Em agosto retomo o estudo do francês, participando de turma de conversação para não ter mais problemas neste ponto, e já vou marcar uma nova prova do TCFQ, que provavelmente será em Outubro. A expectativa é alcançar um TCFQ completo B2. Assim aumento minha pontuação de 56 pontos para 62. Este é o objetivo principal, plano A.
Enquanto isso, a esposa já está forte em aulas de francês particulares para avançar o máximo possível até uma possível entrevista.

Sendo injustiçado ou não, eu só desisto quando conquistar a imigração.

Até a próxima!

8 de julho de 2014

Intention de Rejet... É sério isso?

Pois é, recebi o email de Intention de Rejet na última sexta feira, e não acreditei...

Eu estava realmente certo de que seria convocado para estas entrevistas de Setembro, e acabei tomando este balde de gelo puro. Fui ler a avaliação feita, e descobri que estou sendo avaliado de forma injusta pelo BIQ...

Muitos que me acompanham sabem que enviei os documentos bem "mastigadinhos" ao BIQ, com tradução de documentos por tradutor canadense, TCFQ logo após saída a regra do francês, e tudo mais. Tudo bem detalhado e organizado, veja neste tópico.

Pois bem, a avaliação foi a seguinte:
  • Meu francês, conforme a pontuação que informei no tópico anterior, foi C1/B1 no TCFQ, me garantindo 12 pontos no dossiê. Eles simplesmente ignoraram o fato de existir duas regras (uma anterior e uma após agosto de 2013), mudaram o GPI a revelia agora em Abril, não notificaram os imigrantes que já tinham enviado os documentos, e me avaliaram com 6 pontos no dossiê, acatando apenas o C1 da minha nota, e informando na avaliação do meu dossiê que "eu não quis prover as notas de expressão e compreensão escritas, além de não ser hábil na compreensão oral devido ao B1". Quase surtei...
  • O histórico universitário da esposa, infelizmente, não tinha sido traduzido e acabou sendo enviado assim. Por este simples fato, mesmo tendo em mãos o diploma dela, ele informou que ela tem nível secundário e ganharia 1 ponto ao invés de 3.
Resumo da obra: recebi 54 pontos ao invés dos 60 pontos que eu teoricamente teria.

Fiquei realmente frustrado com o Québec, com a falta de ética, transparência e respeito nas avaliações. São sonhos, tempo, dinheiro, uma vida que está em jogo, para eles simplesmente mudarem tudo, tomarem as decisões que bem entenderem, e cada um que se vire. Se soubesse disso antes, já teria enviado minha documentação para o FSW, que agora já está prestes a fechar, ou mesmo aplicado para o visto de trabalho temporário ou estudos...

Enviei um email a vários representantes do BIQ, inclusive para a diretora, e também encaminhei um email para o MICC para saber porque eles simplesmente ignoraram as regras, e me colocaram na regra atual, sem avisos, sem informações.

Tenho o TCFQ que fiz no começo do ano com a pontuação de B2/B2/B2/B1. Este último B1, infelizmente, foi da parte de expressão oral, pois estava apreensivo na hora. De toda forma, isto me garante, somado ao documento da esposa traduzido, que eu chegue aos 57 pontos, mesmo considerando as regras atuais. De toda forma, terei que lutar por um novo TCFQ, buscando um B2 completo, para ter sobras de pontuação, pois minha esposa não tem praticamente nada de francês e inglês, o que seria arriscado em uma entrevista.

Vou aguardar a resposta do BIQ e MICC. Não vou desistir de imigrar, mas sinto-me realmente frustrado de saber que estou aplicando por Québec, e saber que tive de ser tratado com tamanha falta de ética e desonestidade no processo.

Mas as porradas da vida só servem para que a gente se levante mais forte, e eu estou de pé para o próximo round.

16 de junho de 2014

Depredação, Copa, e Outras Tristezas Mais

Antes de qualquer coisa, eu sei que essa "choramingação" é chata, mas aqui vai um post desabafo.

Eu sou uma das pessoas mais anti-futebol que há na Terra, muito disso advindo da realidade brasileira com relação a esse esporte. Muito tristemente o futebol é a razão da amnésia generalizada da população para a violência, a corrupção, a saúde precária, e todos os blablabla's da triste realidade brasileira. O futebol é a "paixão nacional", a forma de fazer com que todo mundo seja patriota por 30 dias, a forma de alegrar a vida de comunidades carentes, a forma de reunir pessoas que se tratam na base da hipocrisia... Mas pera, onde está o foco de tudo isso, pelo amor de Deus?

Hoje, em uma conversa com colegas do trabalho, um espanhol disse que no seu país não se param as atividades normais de trabalho e do país por conta de esporte nenhum. Eles possuem fortes atletas em diversas modalidades, torcem, apoiam, mas a vida anda, o cotidiano não pára. Teve jogo? Beleza! Ganhou bem, não ganhou, amém! Vamos ao trabalho! E essa cultura do feriado nacional para assistir jogo da copa, de horários especiais, de fechar todas as vias que circundam os estádios, e essa felicidade brasileira de ter folga pra tudo, inclusive para a copa, mostra que a nossa cultura se mata de dentro pra fora.

Não adianta colocarmos a culpa na Dilma, no fulano ou cicrano. O problema é NOSSO. Deveríamos nos alegrar em trabalhar, em fazer a diferença, em ver as coisas mudando com as NOSSAS MÃOS. Mas não, sentamos, assistimos aos jogos, reclamamos de tudo e todos, e "tomamos ferro" de todos os lados porque os "inconformados" no Brasil são uma minoria que não faria nem cócegas na triste realidade do país. Manifestações de 10 mil pessoas no senado parece até brincadeira para uma nação de MILHÕES E MILHÕES E MILHÕES DE PESSOAS.

Quando acordei pela manhã hoje, encontrei minha moto depredada porque o ladrão ou viciado que tentou, não conseguiu leva-la e escolheu quebrar o que conseguia para inutiliza-la. Não estou dizendo que no Canadá, na Europa ou na "casa da mãe Joana" não tenha ladrão, viciados e afins. Todo lugar tem. O problema é a bendita cultura do "vou pisar na cabeça do próximo, pois essa é a forma mais fácil, barata e rápida de conquistar o que eu quero". Isso é Brasil. Não adianta, todos nós temos isso nas entranhas, e diariamente vemos bizarrices por todos os lados.

Dou graças a Deus, pois tenho a oportunidade de ir para um país que ao menos respeita o meu esforço, meu trabalho, minha família e oro para que aqueles que ficam possam ter o mínimo de dignidade e a mesma ou melhores oportunidades que eu tenho para ter uma vida melhor.

O Canadá com certeza não é o Éden, mas o Brasil, a cada dia que passa, não é o meu lugar...

8 de abril de 2014

Trabalho aos montes. Possibilidade Zero

Exatos 1 mês após mudar o perfil do LinkedIn para o Canadá, recebi 4 contatos de diferentes províncias e oportunidades.

A primeira, como mencionei anteriormente, foi uma oportunidade para trabalhar em uma empresa petrolífera situada em Alberta. Não cheguei a fazer entrevistas, pois eles demandam obrigatoriamente o visto de Residente Permanente e não estavam dispostos a oferecer uma oportunidade de trabalho temporário.

A segunda foi uma oportunidade para trabalhar em Toronto. A recruiter elogiou o perfil, mas infelizmente tive a mesma limitação que tive para a primeira oportunidade com relação ao visto.

A terceira tratou-se de um contato de uma recrutadora da Abacus Talent. Ela mencionou que alguns clientes Abacus estavam bastante interessados no meu perfil, e gostariam de realizar algumas entrevistas. Desta forma, enviei meu CV, ela me chamou para uma entrevista via Skype para entender em que etapa eu estava no processo. Expliquei que o BIQ "engargalou" os processos a partir de 2012, e ela ficou chocada em saber que estou esperando a etapa provincial há 1 ano e 9 meses. Informou que poderia até dar sequência nas entrevistas se eu tivesse o CSQ, mas que no momento não podemos seguir adiante. Informei dos rumores de que apenas em Outubro teremos uma nova missão de seleção. Ela informou que irá me contatar novamente em Agosto para obter novidades sobre o andamento do meu processo. Desolé...

A quarta foi ainda esta semana. Também um recrutador, desta vez de Montréal, perguntando se estou em busca de novas oportunidades, pois ele dispõe de uma vaga com salarial diferenciado e tudo mais. Enviei o CV uma vez mais, e vamos ver como as coisas seguem. Não vou esperar pelo pior, pois apesar de desanimado com a lentidão do processo, tenho esperança de que as coisas andarão ao meu favor em breve. Seja com o CSQ, ou com uma oportunidade de trabalho temporário enquanto espero o PR.

Essas experiências me geram uma sensação boa, pois em 1 mês, sem enviar 1 CV sequer ou buscar qualquer informação sobre novas vagas no Canadá, recebi 4 possibilidades fortes de trabalho exatamente na minha área.

É fácil notar que HÁ trabalho. Creio que se eu enviasse o CV para para as empresas e participasse de mais seleções em aberto, conseguiria rapidamente uma posição (caso tivesse o PR).

É realmente triste lidar com este tipo de situação, pois poderia estar já neste momento me alocando no mercado canadense, mas... tenho de esperar pela vontade do BIQ em olhar para minha "pasta de papéis empoeirados".

Paciência, cabeça erguida e vamos em frente.

27 de março de 2014

Dicas para enviar seus documentos de imigração

Decidi criar esse post, mais para compartilhar algumas informações importantes sobre os envios de documentos de imigração.

Anteriormente eu utilizei o EMS (Encomenda expressa internacional) dos Correios, e tudo chegou no México com rápidos 5 dias. Não tive qualquer problema, mesmo considerando a ponte dos Correios do Brasil com os Correos de México. Por outro lado, desta vez que tive que enviar os documentos da esposa para atualizar o dossiê, tive uma baita dor de cabeça. Utilizei o mesmo serviço de EMS via Correios. Enviei no dia 28/02, e enfrentei os seguintes problemas:
  • O Brasil possui o carnaval, então meus documentos ficaram jogados em algum canto no setor de distribuição dos Correios por pelo menos 7 dias.
  • A Aduana brasileira segurou meu pacote de papeis (vulgo possível contrabando) por 2 dias.
  • A Aduana mexicana segurou meu "contrabando" por mais 1 dia.
  • O Correos de México esqueceu de entregar meus documentos, e a entrega ficou parada desde o dia 13/03 até o dia de hoje (27/03), onde foi entregue ao BIQ México.
Abri uma reclamação formal nos Correios do Brasil e nos Correos de México e ninguém conseguiu me informar nada. Busquei atendimento no chat dos Correos de México, e eles me informaram que se eu quisesse maiores informações, que eu ligasse na central de distribuição onde minha correspondência estava lá no México. É mole ou quer mais?

Veja a canseira...

Portanto, é questão de sorte ou azar utilizar os Correios, pois temos estas adversidades...

Utilizei para outros fins a DHL para enviar grandes pacotes da China para cá (Brasília), e levaram incríveis 3 dias para chegar (incluindo fim de semana). Os relatos de uso do FEDEX e UPS também são muito bons.

A vantagem de usar estes serviços é que eles são diretos. Não há nenhum mediador no meio do caminho que irá pegar seus documentos. Se enviar pela DHL, a própria DHL vai entregar.

Para envios nacionais, o Sedex e Sedex 10 já resolvem bem a vida.

Outra dica MUITO importante é: coloque todos os documentos em um envelope ou meio de vedação plástica antes de por no envelope de envio. Houveram casos bizarros de documentos que pegaram água, e chegaram borrados e manchados ao BIQ. Não gosto nem de pensar nesta situação...

Bom, é isso. Dicas deixadas, documentos entregues. Agora é aguardar o débito para a esposa no Cartão de Crédito e orar para esse negócio andar logo...

Abraços.

14 de março de 2014

Nosso Perfil com Pontuação Completa - DCS

Olá pessoal!
 
Como atualizei há pouco tempo meu dossiê com a inserção da minha esposa, as pontuações mudaram um pouco.
 
Colocarei aqui a contagem de pontos para meu dossiê, para servir de base para futuras avaliações (ATENÇÃO! ESTA CONTAGEM É VÁLIDA ATÉ A PRESENTE DATA MAR/2014. SE BASEIE NA PONTUAÇÃO DO GPI MAIS ATUAL PARA REALIZAR SUA CONTAGEM DE PONTOS!):
  • Facteur 1: Formation
    • Critère 1.1: Niveau de scolarité
      • Filipe: Diplôme d’études postsecondaires techniques sanctionnant 2 ans d’études à temps plein (6 points)
    • Critère 1.2: Domaine de formation
      • Filipe: Techniques de l'informatique (DEC) (6 points)
  • Facteur 2: Expérience
    • Critère 2.1: Durée de l'expérience professionnelle du travailleur qualifié
      • Filipe: 48 mois ou plus (8 points)
  • Facteur 3: Âge
      • Filipe: 18 ans à 35 ans (16 points)
  • Facteur 4: Connaissances linguistiques
    • Critère 4.1: Français*
      • Filipe: TCFQ C1/B1(8+4 points)
    • Critère 4.2: Anglais*
      • Filipe: IELTS 6.0/6.0 (4 points)
  • Facteur 5: Séjour et famille au Québec
    • Critère 5.1: Séjour au Québec
      • Filipe: Autres séjours dont la durée équivaut à au moins 2 semaines et à moins de 3 mois (1 point)
    • Critère 5.1: Famille au Québec
      • (0 points)
  • Facteur 6: Caractéristiques de l’époux ou conjoint de fait qui accompagne
    • Critère 6.1: Niveau de scolarité
      • Najlla: Diplôme d’études universitaires de 1er cycle sanctionnant 3 ans ou plus d’études à temps plein (3 points)
    • Critère 6.2: Domaine de formation
      • Najlla: Psychologie (Non Doctorat - 0 points)
    • Critère 6.3: Âge
      • Najlla: 18 ans à 35 ans (3 points)
    • Critère 6.4: Français
      • Najlla: (0 points)
  • Facteur 7: Offre d'emploi validée
    • Critère 7.1: Offre d’emploi validée dans la RMM
      • (0 points)
    • Critère 7.2: Offre d’emploi validée à l’extérieur de la RMM
      • (0 points)
  • Facteur 8: Enfants
    • Critère 8.1: 12 ans ou moins
      • (0 points)
    • Critère 8.2: 13 à 21 ans
      • (0 points) 
  • Facteur 9. Capacité d’autonomie financière
    • (1 point)
  • Facteur 10. Adaptabilité
    • "En attente de l'entrevue" (? points)
 Total: 60 pontos

* Facteur Connaissances linguistiques (selon les dispositions en vigueur avant le 1er août 2013) - Pontuação válida apenas para dossiês enviados até 1º de Agosto de 2013. O meu envio foi em Jul/2012, e atualização com inserção da esposa em Mar/2014.

Considerando a pontuação preliminar para avaliação do DCS (Exigences à l’étape de l’examen préliminaire) de 57 pontos, estamos dentro.
Considerando a pontuação de seleção para emissão do CSQ (Exigences à l’étape de la sélection) de 63 pontos, será necessário fazer entrevista ou enviar novo TCFQ com maior pontuação para cobrir os pontos restantes.

O grande problema hoje é a forma de pontuação dos exames de proficiência. Pra eu conseguir mais de 12 pontos (que eu já consegui com a prova anterior), há as seguintes possibilidades:
  • Se eu enviar um novo TCFQ, com nota B2/B2/B2/B2, e for avaliado conforme a regra anterior a agosto de 2013, recebo 6 pontos + 6 pontos (Compreensão + Expressão Orais). As demais provas serão ignoradas;
  • Se eu enviar um novo TCFQ, com nota B2/B2/B2/B2, e for avaliado conforme a regra atual (pós agosto de 2013), recebo 5 pontos + 5 pontos + 1 ponto + 1 ponto (Compreensão + Expressão Orais e Escritas);
Ou seja, em ambas as situações eu teria 12 pontos do mesmo jeito. Neste cenário, eu somente conseguiria mais pontos se eu fizer dois C1 (para o caso de ser avaliado na regra antiga) ou um C1 e três B2 (para o caso de ser avaliado na regra atual). Nesse cenário, eu teria:
  • Regra antiga: C1/C1 = 16 pontos (8+8)
  • Regra atual: C1/B2/B2/B2 = 13 pontos (6+5+1+1) ou C1/C1/B2/B2 = 14 pontos (6+6+1+1)
Não menciono o IELTS, pois a pontuação é ainda menor e muito mais difícil de conseguir pontos superiores aos que já temos. Este é o sprint final, o último folego para conseguir alguma pontuação suplementar ao nosso dossiê. Pelo menos, se por algum motivo eu não conquistar uma das situações acima para pontuar mais, estarei treinado e pronto para fazer a entrevista.

Espero que, após quase 2 anos de espera no provincial, as entrevistas ou CSQ venham ainda neste primeiro semestre de 2014.

Este é nosso perfil. Vamos ver quais serão as cenas dos próximos capítulos!

Paciência e muita calma à todos nós aplicantes de 2011 e 2012, sorte aos aplicantes de 2013, e corram os aplicantes de 2014, ainda dá tempo!

Abraços.

11 de março de 2014

TCFQ: 7 Dicas e Informações úteis

Dei uma olhada em alguns blogs, fóruns e grupos, e como não encontrei um detalhe neste sentido, apenas algumas informações mais soltas sobre a prova, gostaria de deixar algumas informações e dicas sobre o TCFQ.

Eu fiz a prova há dois anos, e farei novamente agora (mais detalhes no post anterior), após o ajuste do BIQ. A prova agora (a partir de Fevereiro de 2014) possui outras duas frentes de avaliação, totalizando 4 provas:
  • Compréhension orale (30 questions) – 25 minutes
  • Expression orale (6 questions) – 15 minutes
  • Compréhension écrite ( 30 questions) – 45 minutes
  • Expression écrite (6 questions) – 1 heure et 45 minutes

Dica número 1

As duas primeiras provas acima são as mais importantes. Cada uma pode dar 5 pontos para B2, 6 pontos para C1 e 7 pontos para C2 cada uma no dossiê para imigração. Se você tirar, por exemplo, B2 na “Compréhension orale” e C1 na “Expression orale”, já são 11 pontos garantidos. As duas últimas somente lhe renderão 1 ponto cada se, somente se, você tirar qualquer pontuação igual ou superior a B2 (B2, C1 e C2). Mesmo se tirar C2 nas provas de “Compréhension écrite” e “Expression écrite”, se somarão em seu dossiê apenas 2 pontos. Portanto, dê seu "poder de fogo" nas provas orais.

Dica número 2

Toda a prova é organizada de forma crescente de nível de dificuldade. Então no início de cada uma delas, você começará no “bêabá” no francês (A1), e irá dificultando conforme você avança na prova até alcançar o “topdustop” (C2). A segunda dica entra aqui: não dê menos importância às questões dos níveis mais baixos. Todas as questões possuem o MESMO PESO de pontuação, e se perder uma fácil, terá que acertar uma difícil para compensar. Essa dica vale para as provas de Compréhension orale e Compréhension écrite.

Dica número 3

Sabendo disto, infelizmente, como ocorre em qualquer prova que fazemos na vida, nem tudo se baseia somente em nosso conhecimento e proficiência naquilo que estamos sendo testados. A prova tem “macetes” e pontos nos quais ela sempre cobra e na forma em que ela é organizada. Pra compreender como são as provas do TCFQ, vale fazer alguns simulados do TCF. É possível fazer alguns simulados nesse sentido nestes materiais e links:

  • Didier – Guide Officiel - TCF
  • TV5 Monde - TCF
  • RFI - TCF
  • Livro TCF 250 Activités (Billaud Sandrine et Helene Relat)
  • Livro Reussir Le TCF: Exercices et activites d’entrainement (Olivier Bertrand et Isabella Schaffner)
  • Mais dicas neste sentido na coluna "Francês" à direita do blog

Dica número 4

O ouvido é o grande inimigo nesta prova, pelo simples fato de que as provas mais importantes são as provas de “Compréhension orale” e “Expression orale” (as que mais dão pontos no dossiê como vimos acima). Se não treinar bem os ouvidos para escutar bem tanto a gravação da prova de compreensão, quanto o/a examinador(a) da prova de expressão, muitos pontos podem ir pelo ralo. DICA BÔNUS: Sente ao lado da caixa de som no dia da prova. ;) Por isso, vale ouvir radios o dia inteiro, escutar podcasts, e claro, em francês internacional e em francês quebequense. Abaixo estão algumas dicas de rádios para treinar os ouvidos:

Dica número 5

É sempre bom saber aonde se quer chegar, e as possibilidades para alcançar esta meta. Para isso, é de suma importância ler (reler, reler e reler) o GPI - Guide des Procédures d’Immigration, que é o documento oficial para todos aqueles que querem imigrar através do processo de Québec, e também o Manuel du candidat TCF pour le Québec, que é o documento oficial do TCFQ. Não ache que é balela, e que não é necessário ler esses documentos antes de fazer a prova, e até mesmo antes de entrar no processo de imigração. Você pode perder detalhes e dicas valiosas nestes documentos. Por isso LEIA-OS MESMO!

Dica número 6

Há muitos blogs e sites na internet que possuem relatos sobre quem já fez a prova. Esses relatos são úteis para ter uma noção do que é perguntado na parte de Compreensão Oral, por exemplo. Abaixo estão alguns bons links de referência:


Dica número 7

Se você aprende muito estudando sozinho, você aprende muito mais estudando com um professor particular. Não há como discutir que alguns detalhes da língua, mesmo tendo exercícios com a correção para fazer sozinho, nós nunca descobriríamos. São nuanças da língua que somente alguém com vivência da língua poderá nos atentar. Principalmente para os níveis que dão alguma pontuação no processo (B2, C1 e C2), é necessário aprender algumas particularidades do francês, estruturas da língua, expressões idiomáticas, etc. Há muitas opções para se ter aulas particulares. Desde escolas que possuem essa modalidade, professores freelancers e professores via Skype (no Brasil e no exterior). Claro, o custo de cada uma dessas opções difere de acordo com a região e modalidade escolhida, mas é possível conseguir opções que estejam em conta (MESMO).

No mais...

...acompanhe as notícias de imigração sempre que possível, para saber o que mudou, como pontuar, como alcançar o objetivo de uma boa nota, para enfim, estar dentro do processo!

Minha segunda prova será no dia 15 de Abril de 2014.

Torçam por mim nesta segunda canseira. Rs..

Abraços!